Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

sábado, 23 de março de 2013

Inevitável


                                            Poesia de Ana Luíza
Flores coloridas
Suspendem a alma, quando se está frágil.
Aí surgem uns perfumes meio loucos
De algodão doce
Com erva cidreira e capim santo.
Até borboleta amarela assusta, nessas horas.
O vento no rosto lembra uma macieira,
Uma cachoeira
Lembra o gato falecido
A um ano de gripe incurável.

Flores coloridas,
Suspendem a alma
Quando se está frágil!
Estou suspensa num fio de teia de aranha,
Como se me balançassem de rede
Debaixo de um pé de laranja.
Se a sanidade resolver me visitar,
Juro, comprarei tintas da cor do mar!
Farei delas o alvorecer
Na sala de estar
E para o gran finale,
Pintarei um cururu de colan e de tutu
Fazendo cambrê
Contra a maré
De urubus!

Sobre a Autora:
Ana Luíza Dantas Lira é
Uma menina,
Poeta, ou uma poeta menina.  
 Estudante de letras (Português), simpática,
 alegre, bonita, mas já tem namorado.
Além de escrever, ela também tem desenhos
 e qualquer dia desses vamos postar seus desenhos 
no Nosso Bloguinho.  Mas para isso ela tem que
 enviar seus desenhos pra a gente.


                                  Big bj da Marina

domingo, 3 de março de 2013

Gilton Sampaio: Admirável Personagem da Vida Real

Jovem professor formado em letras pela UERN em Pau dos Ferros, Rio Grande do Norte, com mestrado em Lingüística Aplicada (UFRN) e Doutorado em Linguística e Língua Portuguesa (UNESP/Araquara/SP) é por muitos conhecido e admirado, por alguns, invejado. Sua trajetória envolve trabalho árduo, lutas e conquistas. Incansável trabalhador, profissional ousando e apaixonado pelo que faz, toca em projetos e os transforma em realizações. É, mas o toque dele não é tocar do Rei Midas da mitologia, não. Suas conquistas se dão à custa batalhas, planejamento e dedicação. Quem o vê emoldurado em sua postura de homem bem sucedido não imagina que ele nasceu de família simples, proveniente da zona rural de um lugar conhecido como Sítio Baixiote num período de grande seca. Para tê-lo sua mãe precisou ser levada até Pau dos Ferros numa singela carroça. O mais novo de dez irmãos, nasceu com um defeito físico na perna, se submeteu a cirurgia e usou botas durante cinco anos para corrigir o problema. Por causa da seca viveram tempos difíceis, mas ainda assim sua família ajudava os vizinhos mais carentes. Mudou-se para o Sítio Alagoinha, propriedade que pertence à família até os dias atuais. Lá tomava conta dos animais de seus pais e dos sítios vizinhos. Enquanto os bichos comiam, aproveitada os intervalos para dedicar-se a leitura. Brincava de reizado criando mundos imaginários e envolvia-se com a vizinhança em contação de história que entrava pelas madrugadas. Quando havia inverno ou água na canciba, plantava fruta e hortaliças que tempos depois tentava vender nos supermercados. Se não comprassem, colocava numa carroça ou num carro de mão e saia vendendo de casa em casa. Como mais novo tinha sempre que ajudar aos irmãos mais velhos. Os temores eram muitos, a morte do pai foi o marco que o fez encarar a vida com muito mais seriedade, nada podia ficar pra depois, nenhuma oportunidade poderia ser perdida. A necessita o impelia a correr contra o tempo e se impor às adversidades. E assim suas brincadeiras de menino e adolescente sempre foram permeadas pela seriedade e dureza do trabalho. Participava de mutirões, nos quais as pessoas se uniam para limpar as baixas de arroz ou outras atividades relacionadas ao campo. Aprendeu no meio dos simples o valor e a força do trabalho coletivo. E esse aprendizado serviu de base ao longo de sua trajetória profissional, e assim com trabalho coletivo obteve muitas conquistas, entre elas a implantação o Mestrado na UERN em Pau dos Ferros em 2008. Seus 17 anos foram coroados com duas conquistas significativas: a aprovação no vestibular para cursar Letras e a aprovação em concurso público para trabalhar na Saúde. Embora não se dedique a nenhuma religião reconhece que sua atuação em comunidades através de grupo de jovens da igreja católica lhe serviu de base social e humanitária.
Casado com a jovem professora Lúcia Sampaio e pai de dois filhos cursou o pós doutorado na Université Paris 8, em Saint-Denis, desenvolvendo uma pesquisa sobre os sentidos e as defesas para o Ensino de Língua Portuguesa no mundo, com maior atenção nas produções que foram publicadas em Português e em Francês com foco nos países da África Lusófona (Moçambique, São Tomé e Príncipe, Senegal, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Angola), em Portugal e no Brasil. Esse projeto dá continuidade às pesquisas desenvolvidas desde 2003 em sua tese de doutorado.

      Para aqueles que ainda não conheciam Gilton Sampaio, eis aqui a oportunidade de conhecer um pouco desse personagem da vida real que tem uma história interessante para contar.



Texto de Margarete Solange