Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

EDGAR ALLAN POE

Poeta e Contista

O desafio literário post de  6 de setembro de 2010 perguntava com quem a autora Margarete Solange conversa na poesia “Nunca Mais”. O desafio parecia difícil, visto que se trata do poeta e contista Norte-americano Edgar Allan Poe, mais conhecido por seus contos de mistério, terror, loucura e morte, e imagina-se que esse escritor é mais popular entre as pessoas que se dedicam a estudar literatura estrangeira. No entanto, rapidamente as meninas Nadijane de Mossoró, RN e Jade Follett de São Paulo deram a resposta correta. Os textos da primeira participante foram omitidos temporariamente a fim de que a brincadeira pudesse continuar e envolver outras pessoas até que novamente alguém postasse a resposta certa.
A poesia da autora faz referência ao poema “O Corvo” e ao próprio autor que no fim de sua vida foi encontrado misteriosamente vagando pelas ruas, desorientado e maltrapilho como um mendigo ou um vagabundo qualquer.
No poema a autora diz:

Passeia em minha lembrança
Tua imagem sinistra
Como a noite solitária e fria,
De vestes negras como um Corvo  
A vaguear pelas ruas, sem nome,
Sem fama, sem memória...

O escritor aclamado por sua genialidade tinha uma história de vida bem parecida com o fantástico descrito em suas obras: a desgraça, a loucura e a morte prematura de pessoas amadas, temas sempre presentes em seus contos, rodeavam bem de perto a sua vida real. Perder a inteligência brilhante para a loucura era um tema que o inquietava, e ao que parece, o que ele mais temia lhe sobreveio. Alguns detectam em POE características da esquizofrenia, loucura que ele descreve tão bem no narrador personagem de seu conto “O Gato Preto” (The Black Cat).  Vícios e escândalos fazem parte de sua história. Expulso da Academia Militar de West Point dedicou-se a carreira literária publicando seus primeiros contos numa revista em 1830. Amado pelas mulheres que o conheciam bem de perto, não cultivava amigos, usava o poder de suas palavras para ferir seus contemporâneos com duras críticas. Foi chamado de “O Gênio Incompreendido” por Baudelaire, e foi, quem sabe até mesmo, incompreendido por ele próprio, visto que sua história é tão misteriosa e pontilhada de desgraça quanto os contos que ele narrava convincentemente e sempre em primeira pessoa.
.
Para ler o poema “Nunca Mais” da autora Margarete Solange, bem como os comentários dos participantes da brincadeira “Desafio Literário” acesse a página de 6 de setembro de 2010.
.

12 comentários:

  1. Êta mulher inteligente,sabe tudo.Obrigada pela oportunidade de ganhar mais um de seus livros nesta última brincadeira.O autografado será uma relíquia.Comprei mais um para presentear,coisa que muita gente deveria fazer,presentear com livros,o da Autora Margarete Solange de Moraes é uma excelente opção,leitura divertida,agradável,séria.....e o melhor custa baratinho.

    ResponderExcluir
  2. É isso ai Nadjane, concordo quando diz "Êta mulher inteligente" e quando aconselha que as pessoas também comprem o livro para presentear, assim como vc faz. É desse jeito que divulgamos as obras da nossa querida escritora.

    ResponderExcluir
  3. Faço minhas as sábias palavra de Nadjane. e a propósito quem tiver pelos lados de cá venham compra comigo. Na minha mão é mais barato kkk

    ResponderExcluir
  4. Estou achando a conversa de vocês, bem interessante, podem continuar bem à-vontade. Obrigada meninas pelos elogios, vocês têm cara de quem só falam a verdade. Essas minhas representantes de vendas são dez. Big beijo, meninas super-poderosas!

    ResponderExcluir
  5. Excelente artigo que nos faz conhecer um pouco sobre o escritor Norte-americano Allan Poe. Quanto à poesia “Nunca Mais”, considero um texto de conteúdo bastante engenhoso, muito interessante!

    ResponderExcluir
  6. É isso aí, a poesia “Nunca Mais” é rocheira!!! Legal, bem musical. A autora tem cultura!

    ResponderExcluir
  7. Logo que li o poema percebi a presença dessa intertextualidade com o texto de Allan Poe. Muito boa. O poema é de um valor literário riquíssimo. E aqui no blog com essa figura do corvo no inicio foi uma boa dica para ajudar a quem suspeitava e precisava de uma confirmação.

    ResponderExcluir
  8. Oi, gente, acho lindo esses comentários literários de vcs: tão rico, tão cultural, tão cheio de letras. Como sou formada em natureza animal, pra não ficar pra trás vou deixar também o meu parecer: apesar do corvo ser um pássaro sem beleza essa gravura está muito bonitinha, parabéns pra quem selecionou. Bj da SuperStar para Corvos e não Corvos.

    ResponderExcluir
  9. Beijos pra vc Aninha.Nas mão de Rafaela os livros se tornam tão baratos quanto nas mãos de Joseneide,sou testemunha,pois já comprei alguns.Presentei os amigos aniversariantes de setembro com as obras da escritora Margarete,é uma ótima opção,estou fazendo isso.

    ResponderExcluir
  10. Que saudade das garotas maravilhosas de Sampa. Nunca mais deixaram um recadinho aqui no nosso estimado bloguinho. Vinicius fez a poesia "Garota de Ipanema" acho que vou fazer uma com título "Garotas de Sampa" em homenagem a Josy e sua amigas exibidas, maravilhosas e inteligentes.

    ResponderExcluir
  11. Não dá pra comentar, depois de toda essa intelectualidade desse povo letrado, cheios de trololós e tudo mais. Vou apenas tecer um comentário (Sim TERCER UM COMENTÁRIO) PQ UMA MULHER FINA E MARAVILHOSA COMO EU NÃO FAZ FOFOCAS. Olha lá hein seu Leon, tô achando vc meio saidinho. Será que vc anda de paquera com a jaiane (Jade Follet)??? Ela me falou que vc é um "fofo". Hum sei não heim...Namoro por correspondência ainda existe? kkk

    ResponderExcluir
  12. Nada a declarar! Esses comentários dessas mulheres letradas são muito sérios e intelectuais kkkkkkkk vou ficando por aqui.

    ResponderExcluir