Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Um Amigo que somente a última batida do coração separa


Él es tu amigo, tu compañero, 
tu defensor, tu perro. 
Tú eres tu vida, su amor, su lider. 
Él será tuyo siempre,
 fiel y sincero hasta el último latido de su corazón. 
A él le debes ser merecedor 
de tal devoción. 
                                                        (Anómino)


No amor desinteressado de um animal, no sacrifício de si mesmo, alguma coisa há que vai direito ao coração de quem tão frequentemente pôde comprovar a amizade mesquinha e a frágil fidelidade do homem.
(Allan Poe in O Gato Preto)
  
Hay algo en el generoso y abnegado amor de un animal que llega directamente al corazón de aquel que con frecuencia ha probado la falsa amistad y la frágil fidelidad del hombre.
(Allan Poe in El Gato Negro)
  
There is something in the unselfish and self-sacrificing love of a brute, which goes directly to the heart of him who has had frequent occasion to test the paltry friendship and gossamer fidelity of mere Man .
(Allan Poe in The Black Cat)


Ele não queria ir
Porque me amava intensamente.
Eu lia isso nos seus olhos
Redondos, contentes.
Olhinhos que eu tanto amei.
Ele não queria partir
E a lembrança disso me dilacera o peito.
Quem dera ele estivesse aqui
Nesse momento e pra sempre...
                                                                                 (Margarete Solange, Intensamente)


segunda-feira, 15 de abril de 2013

Análise da Poesia "Às Mulheres"

                  Texto de Jucymário de Lima, 
estudante do segundo período 

de letras Espanhol, (uern),
apresentado à disciplina
Teoria da Literatura.
          

         Às Mulheres
                                                                   Margarete Solange
Quem pode entender as mulheres?
Elas são tão complicadas,
Carentes, dengosas,
Mui amadas, maravilhosas.
Difíceis de se contentar com tão pouco.
Reclamam, principalmente com quem amam,
Mudam de estilo como o camaleão,
Mesmo na simplicidade são vaidosas,
Até as feias são charmosas,
Gostosas de abraçar,
Irresistíveis, ternas, maternas, talentosas,
Frágeis, ágeis, perigosas...
Brilhantes como o sol, bravias como o mar,
Encantam... Embora não sejam tão apreciáveis
Em todas as suas fases:
Minguantes, ficam implicantes,
Depressivas, prontas para atacar,
Ou chorar por qualquer razão.
Rosas perfumadas com beleza e espinhos,
Braços para abraçar, palavras para ensinar,
Lições para guardar no fundo d’alma.
Por causa delas o mundo se comove,
E nas batalhas vencem sem usar armas mortais.
As mulheres são: de dia como o sol,
De noite como a lua, como o céu cheio de estrelas.
Quem pode resistir aos seus encantos?
Quem pode existir sem elas?

Moraes, Margarete Solange.
Inventor de Poesia, p. 23,
Queima Bucha, 2011.

 Quanto à forma

A poesia “Às Mulheres”, de Margarete Solange, é uma poesia moderna, de uma única estrofe, distribuída engenhosamente em 27 versos livres, no que se refere à métrica. Quanto à rima são irregulares quanto à posição e misturadas e emparelhadas, portanto podem ser representadas pelo seguinte esquema rítmico:
.
Abcbcaeeaacccdfggchhidaafiiiddabdddjjdll



Ao longo da poesia, existe a repetição das palavras

Mulheres, tão, são.


No verso “... Lições para guardar no fundo d’alma.”, há Elisão que é um artifício usado na poesia para adequar o numero de sílabas poéticas dentro de um verso.


Nos versos “Mui amadas, maravilhosas.

Difíceis de se contentar com tão pouco.

Reclamam, principalmente com quem amam,

Mudam de estilo como o camaleão,...”, podemos perceber a repetição da mesma consoante ao longo dos versos.

Evidenciando a presença da Aliteração de M, L, C e assonância de A e O.


Nos versos “... As mulheres são: de dia como o sol,...” podemos perceber a similaridade/comparação.


Vejamos mais algumas figuras de linguagem

Símile ou comparação
Como o camaleão,
Brilhantes como o sol,
Bravias como o mar,
De dia como o sol,
De noite como a lua,
Como o céu cheio de estrelas.

Sinestesia
Gostosa de abraçar = remete ao tato
Rosas perfumadas= ao olfato

Metáfora
Diz que as mulheres são Rosas, portanto usa um sentido figurado para dizer que as mulheres são belas.
Brilhantes para dizer que são intensas

Metonímia
Minguantes = depressivas, passam por fases de humor delicado

Antítese:
feias - charmosas
sol -lua
noite - dia
simplicidade - vaidosa


Quanto ao conteúdo


O poema homenageia as mulheres mostrando certas particularidades que, mesmo não sendo características de todas, mostra um retrato da classe de modo geral, suavizado as falhas e enfatizado as virtudes. Nesse poema, a figura da mulher é associada a elementos da natureza que tem força e beleza como sol, mar, lua e estrelas. Ao comparar a mulheres com a lua, em suas fases, refere-se às variações de humor pelas quais passam as mulheres em dias de estresse ou mesmo mensalmente durante o período menstrual, quando se torna depressiva, delicada, melindrosa ou agressiva, pronta para chorar por qualquer razão. Encerra estabelecendo a soberania da mulher quando insinua que não se pode existir sem ela.


Texto enviado por 
Jucymário de Lima