Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Obras de grandes artistas

Juntamos nesta página trecho do conto “Crianças” de Margarete Solange, e fotos de crianças do grande artista Felipe Galdino. Eu acho que ficou deverasmente bom, porque ELES são dois artistas de grandes obras:  



 ELE  é um excelente fotógrafo, ELA uma escritora magnífica.

Crianças
.
Trecho do conto de Margarete Solange
.
A leitura é para mim uma companheira inseparável. Quando leio, converso com os livros, concordo ou discordo dos autores, às vezes choro ou dou boas gargalhadas. Eu e a leitura brincamos juntas, desde sempre. Desde quando eu ainda estava descobrindo o mundo das palavras. Foi mágico descobrir que os livros falavam e que, através do faz de conta, eu podia entrar no colorido das ilustrações para viver a história.
A leitura é o princípio e o meio, a morte é fim. O homem pode não ser rico, mas se ele tiver na bagagem a leitura, será mais que isso: será sábio. A sabedoria, sem dúvida, é grandiosa, é tudo na vida, não na morte. Na morte, todos os homens são igualmente leigos.
Desde pequenina, esconde-se dentro de mim um ser escritor que tem lá seu lado tímido ou tolo, assustado talvez, mas que, por vezes, permanece alerta, registrando tudo que lhe acontece em volta. Quer dizer, nem tudo, mas certos episódios que terminam sendo transladados da realidade para a literatura.
Tenho aprendido que a literatura imita a realidade, e que a realidade por vezes não tem lógica. A obra literária mostra o possível, o provável, porém através dela o improvável também é possível. Qualquer asneira pode ser uma grande obra, tudo depende da teoria inventada para justificar o absurdo. O fato é que, feio ou bonito, simples ou complexo, com lógica ou sem lógica, aquilo que é revestido de arte, para uns ou para outros, torna-se precioso e belo, simplesmente porque é arte.
Com a chegada da velhice, o escritor desata a registrar suas memórias buscando eternizar acontecimentos que não gostaria que fossem apagados da lembrança, com o passar do tempo, ou tragados pelo esquecimento. Ainda assim, o leitor deve ser cuidadoso com aquilo que instintivamente considera autobiográfico, visto que – digo por experiência própria – certas narrativas que os leitores imaginam ser memórias, alguns parentes e amigos mais chegados classificam como sendo mentiras. Um escritor é um ator que representa vários papéis ao mesmo tempo. Entretanto, por culpa do narrador de primeira pessoa, acaba levando broncas imerecidas por parte dos leitores, ou mesmo da família. Isso de certa forma é divertido; no entanto, se porventura um professor ou estudante de literatura atribui as ações do eu narrador ao autor da obra, isso se torna um tanto quanto lamentável, porque esses deveriam saber que um escritor, usando a primeira pessoa, pode atuar sendo quem ele quiser.
A memória escrita resiste ao tempo, por isso escrevo. Porém, desejo, de todo o meu coração, que a velhice não me roube a lucidez, nem por um só momento. Ela não está tão perto, mas se avizinha matreira. Posso vê-la no espelho pintando os meus cabelos de branco. Permito que eles fiquem assim porque desejo enfrentá-la sem grandes sustos.

Em cada canto da casa ponho um relógio bem grande. Não se pode deter o tempo, mas é prudente vigiá-lo de perto. Manter olhos atentos e ouvidos aguçados para captar cada detalhe da vida. Da própria vida e da vida do outro, claro. Não que um escritor seja dado a fofocas, trata-se unicamente de seu material de trabalho. E esse pode estar em qualquer lugar, por toda parte, a qualquer hora.

[...]

Crianças
Fotografias de Felipe Galdino








  




 




Margarete Solange
Contos Reunidos 
Sarau das Letras, 
2014,  p.98-109
Trecho do conto
Crianças
Fotografia de
 Felipe Galdino

5 comentários:

  1. Uhu! Legal. Gosto dos dois. Ele é o CARA e Ela é a CARA!

    ResponderExcluir
  2. Adorei, tanto o texto quanto as fotos. Os dois artistas arrasam

    ResponderExcluir
  3. Esse conto é um dos meus favoritos, pena que só está ai o começo... E esse fotógrafo (Felipe Galdino) realmente é um grande artista. Reconhecimento bem merecido.

    ResponderExcluir
  4. Em outra ocasião a gente posta o conto na íntegra.
    Essa introdução é só pra incitar a vontade de ler.
    Big Bj da super encarregada pela postagem

    ResponderExcluir
  5. Dois artistas que se entendem muito bem: ela no lápis, tudo vira conto e o outro na passarela com suas belas fotos. Meus parabéns aos dois. Aninha a reportagem ficou muito boa, gostei.

    ResponderExcluir