Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

sábado, 29 de janeiro de 2011

Motivo - Poesia


Oi gentii linda e fashion do meu estimado Brasil, belo, diet e cheio de riquezas bem brasileiras. Estou novamente aqui para atualizar a postagem do nosso literário bloguinho. Ai, adoro esse meu trabalho! Sem ele não existo... literalmente! (Ahahaha!!!) E quem me anima e me faz existir?! Vocês meus grandes amores que lêem e comentam nosso querido bloguinho. Sou fã de poesias, já deu pra perceber, não é? Aliás, sou apaixonada pela literatura em geral, até porque sou parte dela. Escolhi especialmente pra vocês a poesia “Motivo” de Cecília Meireles. Sei que vão gostar porque é uma poesia linda, além disso foi uma mulher quem escreveu (hehehehe). Ai, ai, as mulheres são tão jeitosas, o mundo fica bem mais fashion com elas. Não vou nem pedir para vocês opinarem sobre isso porque essa é uma verdade absoluta! 

E pra quem por mero acaso do destino, ainda não sabe quem é Cecília Meireles, minha grande amiga Cecizinha, ai vai a dica:


A grande Poeta Cecília Benevides de Carvalho Meireles ou tão somente Cecília Meireles para os íntimos, nasceu em 7 de novembro de 1901, no Rio de Janeiro. Órfã ainda criança, foi educada pela avó materna. Professora primária formada em 1917, dedicou-se ao magistério. Em 1919 publicou seu primeiro livro de poesias, Espectros, de tendência parnasiana. A partir dos livros Viagem (1939) e Vaga Música (1942), alcançou a maturidade literária, inspirando-se principalmente no simbolismo. Seu estilo, extremamente pessoal, dificulta a classificação de sua obra em uma escola literária específica, no entanto, o nome dessa ilustre poeta fulgura entre os principais autores do modernismo. Lírica, intimista e mística, abordou os temas da precariedade da vida, do amor, da morte e da fugacidade do tempo. Morreu no Rio de Janeiro, em 9 de novembro de 1964.

Agora que já foram devidamente apresentados, você não vai mais esquecer esse nome, principalmente depois de conhecer a poesia "Motivo" que é + Q D+. 

Motivo
                                             Cecília Meireles

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.




Ah, e tem mais. A poesia Motivo foi musicada pelo Cantor Raimundo Fagner, um rapaz pra lá de talentoso que tem que uma voz do outro mundo. Ele canta demais!! Imaginem o resultado dessa parceria. 
Sem mais no momento, assino e carimbo essa postagem com um super beijo da Super!! Fui, mas volto, claro!!!

7 comentários:

  1. Oi querida!Essa poesia é realmente bárbara,ñ sabia q/ era da Cecília,bom saber e melhor é ainda saber um pouco da biografia da mesma,por isso q/ gosto deste blog.Parabéns a todos q/ o faz.Xeiro grande Anininha.

    ResponderExcluir
  2. Concordo Nadj. Aprendemos muito com esse bloguinho. Postagem muito interessante sobre a autora Cecilia.

    ResponderExcluir
  3. Essa tar de Dona Cecilha escreve bem pra caramba. Eita muié com tutano, só tou achano que ela num pintiou o cabelo direito. Gostei dela.Tá convidada pro mode vir aqui no meu sitio comer goiaba mais eu. Ôi,e tem mais, a reportagem é boa porque foi minha fia que escoieu.

    ResponderExcluir
  4. Ai,ai,ai D. Anona,Aninha tem a quem puxar,vc é muito convencida mesmo,rsrsrsr.Como ela vai no teu sítio se ela já morreu a décadas?kkkk.Só oc mermo né D. anona?kkk.Sua fia tá de parabéns pela matéria e escolha da poesia.

    ResponderExcluir
  5. Acho essa poesia de Cecília Meireles muito bonita, e musicada e cantada por Fagner fica incrivelmente bela. Adorei a postagem, Aninha. Suas rivais que costumam lhe chamar de "sem noção" devem estar percebendo que sua "falta de noção", principalmente na hora de se exibir, apenas faz parte de seu trabalho como animadora desse bloguinho. Pois é, amiga, essa triceria: Cecília, Fagner e você ficou ótima.

    ResponderExcluir
  6. A poesia é muito bonita. Quem fala muito nessa autora é a professora de meu filho, não vou falar muito porque não conheço bem, mas a poesia tá bonita e a reportagem tá legal. Ficou flesh, viu Aninha.

    ResponderExcluir
  7. Bela poesia. E cantada por Fagner é magnífica.

    ResponderExcluir