Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

segunda-feira, 24 de maio de 2010

PRECISO DE TEMPO - Crônica

.
de Margarete Solange
.
Faz tanto tempo que não escrevo. Não escrevo porque me falta tempo. Tanto se critica os desocupados e eu hoje quase os invejo. Quem dera meu tempo fosse livre para eu ficar desocupada e poder fazer tanta coisa que gosto. Ler, por exemplo. Chego a imaginar que estou desaprendendo a ler por prazer, porque não tenho tempo. Preciso ler folhas e mais folhas de trabalhos científicos, monografias de conclusão de curso, referências a autores ou mesmo plágio (Se não existisse o plágio muitos jamais se formariam). Alguém poderia me criticar dizendo: o ser humano nunca está satisfeito. Agora que está no emprego que sempre almejou, reclama. Reclamo! Reclamar é sinal de que estamos vivos! Além disso, estou bem satisfeita ganhando o meu pão de cada dia; tão somente queria ter mais tempo para trabalhar para mim mesma. Quase invejo as pessoas que, no final da tarde, sentam-se, com o cabelo molhado e uma roupa leve, em cadeira de balanço em suas calçadas. Embora sempre achei que sentar em calçada não combina com o meu jeito de ser, mas por esses dias, meses e anos, sentar para conversar seria para mim um luxo, um refrigério. Todavia, ainda assim se me sobrasse tempo, armaria uma rede na varada e buscaria a companhia de um bom livro para ler. Queria tão somente me apossar do meu próprio tempo para empregar naquilo que bem quiser. Quem dera até pudesse acompanhar dia a dia uma programa de TV, quem dera! A verdade é que se assim fosse, significaria ter tempo de sobra para desperdiçar até mesmo com coisas não tão necessárias. Quem dera não precisasse reclamar que me falta tempo para ler e escrever sobre aquilo que realmente me interessa. Ler e escrever... Não necessariamente o dia todo, mas todos os dias, sem nada ganhar ou perder, apenas para satisfazer minha necessidade de ser livre, empregando meu tempo naquilo que verdadeiramente me faz feliz.
.


Margarete Solange 
 Escrita e proferida na UERN, em Pau dos Ferros em 21 de janeiro de 2007.
.

13 comentários:

  1. Esse texto me comoveu, comparado a minha vida que tenho tanto tempo que não sei o que fazer, não sei como aproveitar... Agora aprendi que o nosso tempo é muito valioso, principalmente nessa fase de adolescência... Vou aprender a aproveitar mais o meu tempo, até mesmo para ler mais...
    Essa autora é Maravilhosa, com ela aprendemos tudo e reconhecemos o nosso erro. Por isso que eu adoro ela... Bjoss.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosa és tu, menina linda...
    Aproveita o tempo livre pra ler mais. Mergulhar na leitura na adolescência é fundamental. E o bom dessa fase é que a gente só ler o que bem quiser.
    Bjão

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a autora. Minha vida também está assim, sem tempo para fazer o que gosto. Gostaria de um tempinho para 'respirar' o que eu realmente gosto. Fazer o que eu quero, ler o que eu quero, não me preocupar com prazos de entrega de trabalhos, e tantas outras coisas... Ufaaa, é um desabafo!

    ResponderExcluir
  4. Valeu, Margarete. Tá magnifico. É verdade todo mundo precisa de um tempo pra si mesmo. Pra se divertir, conversar e viajar. Trabalhar de mais ofende e estressa.

    ResponderExcluir
  5. E ai, Nadjane, cadê você? Tá escondida onde que não tou vendo seus comentários?

    ResponderExcluir
  6. Até que em fim vc lembrou de mim.Estou comentando sim.
    Já estava preocupada com seu esquecimento.
    Esse texto fala justamente do que estou vivendo.
    Essa escritora é sábia mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Claro que não me esqueci de vc, ora mais essa. Convencida, heim bichinha, me aguarde!

    ResponderExcluir
  8. Uma perguntinha para essas duas meninas alegres e divertidas, quem vi primeiro responde:
    Maria e Nadjane, vocês se conhecem pessoalmente?

    ResponderExcluir
  9. Não.Estou louca para conhece-la.
    Mas parece que já conheço.
    Quando for possível me proporcione esta alegria.
    Não diga a ela p/ ñ ficar cheia do convencimento.rsrsrsrsrs.

    ResponderExcluir
  10. Ora, ora, e precisa eu dizer. Ela mesma vai ler. E se ela já acha que a convencida é vc, vai dá bem certinho. Uma coisa posso lhe adiantar, as duas riem de tudo. E são duas Jóias finíssimas, pessoas simples de bom coração.

    ResponderExcluir
  11. Valeu, Nad. Eu tbm tou louca pra te conhecer. Claro q fiquei convencida, ora se não. Vc viu o comentário da autora? Somos joias preciosas. Gostei, Brigado. Aguardo resposta.KKKKKKKKK

    ResponderExcluir
  12. Que bacana! Que bom!
    Olha Maria,não podemos nos perder nem trincar,pois somos raras.rsrsrsrsr.

    ResponderExcluir