Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

terça-feira, 13 de julho de 2010

NOS LIMITES DA CHATOLOGIA

Oi, meus amores e minhas amoras, estou aqui pra dizer que amo vocês! Nossa! Amo demais, com todo meu coração de Leão. Olho pra você, você mesmo que acabou de entrar neste blog e vejo alguém cheio de brilho, marcado para vencer na vida. E só seguir em frente, sem se cansar, sem desistir. Olha só qual deve ser seu lema: “Desistir, Jamais!”. Você pode até dá uma paradinha para meditar, chorar, planejar o que vai fazer, como vai fazer, etc. É importante refletir, principalmente na hora de decidir coisas importantes tais como dar um soco na cara de alguém, por exemplo. Se você simplesmente socar alguém porque está muito chateado, quando se deschatear, se arrepende. Então, além de ter um amigo chato, você terá um amigo chato de cara amassada, isso não é legal, ser chato já basta. Além disso, todos nós somos chatos de alguma maneira. A escritora Margarete tem um conto chamado “Ser ou não Ser” – parece que um tal dum Shake andou copiando esse título dela, mas isso não vem caso, o que ia dizer é que nesse conto, ela fala sobre isso, sobre a chatice humana. Fala também sobre a Chatologia, ciência que estuda os chatos. Por fim, ela diz que todo mundo é chato de alguma maneira, sejam os bonzinhos, sejam os folgados, mas que na verdade existe uma classe de pessoas cuja chatice ultrapassa os limites da Chatologia, estes são os insuportáveis, portanto, não cabem nos limites da Chatologia. A partir de agora, amigo, quando alguém lhe chamar de chato, não se ofenda, fique feliz. Porém, se alguém lhe classificar como insuportável, ih! Você tem que se reciclar urgentemente. Eu sei que sou chato, mas tô no limite, eu acho!
.
O Conto “Ser ou não Ser” faz parte do livro “Ninguém é Feliz sem problemas” da autora Magarete e foi publicado em 2009. Um dos ganhadores do prêmio Escritor Norte-riograndense.
.
Agora responda com sinceridade, você se acha chato? Vote sobre isso na nova enquete.
.
Veja as três novas Enquetes, aí do lado. Olhou, viu? VOTE!
.
Um beijão do Leon, UAU!
.

9 comentários:

  1. kkkkkkkk
    Legal, Leon. Concordo. Eu tbm sou chata, mas quando encontro alguém mais chato que eu, fico feliz por não ser tão chata assim.

    ResponderExcluir
  2. KKKKKKK,Vc é 10 Leon,até sobre chatos vc faz matéria.Sua matéria hoje me fez refletir,vou me policiar para ñ precisar de médico p/ chatologia,acho q/ é o único que ainda ñ fui.rsrsrs.
    bjs Leon.

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelo elogio, Senhora Nadijane. Esqueceu de votar nas enquetes, mulher? Faça isso não, volte e vote! Um beijão para vc tbm, com todo respeito leonino.

    ResponderExcluir
  4. Leon eu fui a 1ª pessoa a votar.Vc acha que eu ia perder essa?

    ResponderExcluir
  5. Concordo com o conto e com vc Leonzinho, todos somos chatos de alguma maneira só que tem gente que não toma semancol, mas ele existe em gotas ou se preferir em supositório rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. Ei, Maressinha, essa fala do semancol em supositório é minha!rsrs Olha os direitos, hein?

    ResponderExcluir
  7. Parabenizo o repórter Leon Fernandes pela divertida reportagem. Concordo com a ciência da chatologia. Conheço o conto da autora e acho legal, bem bolado. Que bom saber que sou chata e não insuportável. Mas conheço tanta gente insuportável, como exemplo... Bjs Leon. Tá ficando um rapazinho, hein!

    ResponderExcluir
  8. Com certeza me acho extremamente chata. Se alguém é chato comigo, eu sou mais ainda. Mas sou chata com razão. KKKKKKKKKKK.

    ResponderExcluir
  9. Estava eu inocentemente vendo TV, quando começou um desenho chamado Pinck Dink Doo (TV cultura) que é nada mais nada menos uma menina que inventa hitórias e as conta pro seu irmãozinho Tyler. Por que será que me chamou atenção??? KKK
    Quem disse que a arte não imita a vida. VEJAM NO YOUTUBE E DIVIRTAM-SE. Bjos doces.

    ResponderExcluir