Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Quintais

Margarete Solange 
.
Se o tempo quebrasse e parasse agora,
Enquanto não me oprime
O compromisso chato que me rouba o dia,
Escondida em meus quintais, sem hora,
Seria alguém que não é ninguém.
Pés descalços...
Abrigada por tão altos muros,
Vejo a lua clara subir no céu
E o farfalhar do vento canta
Aos meus ouvidos música tão boa.
Quieta, penso que não penso em nada,
Só meus olhos dão sinal de vida.
Por um momento tudo é poesia...
Eu tão sem vaidade, tão sem ambição,
Sem amor, nem ódio,
Sem pecado algum...
.
Se esse tempo que parece meigo
 .
Ficasse assim por noites sem dias
E a lua pura encantasse o céu...
Que mulher seria mais feliz que eu?
Protegida do mundo lá fora,
Sentada no chão...
Rodeada por dois cães que brincam,
Me abraçam, vão e voltam...
Para eles basta que eu esteja aqui.
Se quiser falo qualquer coisa à-toa:
Um grito, um gesto, uma gargalhada...
Tudo é tão perfeito,
Só por um momento...
Eu tão sem vaidade, tão sem ambição,
Sem amor, nem ódio,
Sem pecado algum.
.

Fonte: Margarete Solange. Inventor de Poesia: 
Versos Líricos. Queima-Bucha, 2010.

Fotografia de
Rafaella Medeiros
.

8 comentários:

  1. Linda!!!!!! Poesia que me fez entender que nesse momento o que eu quero é..."Pés descalços...
    Abrigada por tão altos muros,
    Vejo a lua clara subir no céu
    E o farfalhar do vento canta
    Aos meus ouvidos música tão boa.
    Quieta, penso que não penso em nada,
    Só meus olhos dão sinal de vida"."Viajei"como falam os jovens.Pena q/ tenho q/ voltar!No livro em outro momento achei triste,porém agora vejo de outra forma,por isso q/ acho a autora formidável,seus trabalhos nos ajudam e nos ensinam de diferentes maneiras.Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. Bela poesia. Eu também queria está livre dos compromissos chatos, dos trabalhos para fazer, das apostilas para ler... Gostaria de esta despreocupada ao “redor desses muros, sentada no chão, observando a lua e ouvindo o som do vento”... Já que não posso, tento aproveitar através da leitura dessa agradável poesia o momento de verdade que ela me passa, e sonhar que estou lá vivendo isso.

    ResponderExcluir
  3. Que linda poesia...PARABÈNS!!!
    Você e suas divinas inspirações, muito maravilhoso isso. Também gostaria muito de ter esses momentos de total desprendimento e tranquilidade, ai quem me dera...
    Maravilhosa poesia.

    ResponderExcluir
  4. Eita lele, fim de ano é assim mesmo... Bate a canseira e a vontade de parar o mundo e descer no próximo ponto. É, mas não dá pra fk sem fz nada... Então só resta fechar os olhos e entrar no mundo da poesia. Vamos conpartilhar essas palavras saborosas e por um instante parar o giro dos ponteiros.

    PS:De preferencia sem cachorros pulando em volta de mim...KKK

    ResponderExcluir
  5. A poesia é tão linda que eu estou até sem palavras... estou até sem palavras. é muito bom poder fugir dessa vida estressante e ficas nos quintais sendo apenas nos mesmos.

    ResponderExcluir
  6. Esse deve ser o sonho de todas as pessoas... Buscar um lugar tranqüilo, sem nenhum temor e, apenas, estar de bem consigo. Ótima poesia, realização de um sonho.

    ResponderExcluir
  7. Magnífica! Brilhante! Maravilhosamente linda. A gente vê que a autora escreve com carinho o que pensa e o que vive e que dedica grande amor aos seus animais.

    ResponderExcluir
  8. Há momentos em que é bom está só,. A solidão que temos nessa poesia
    “Quintais” nos parece sinônimo de refugio e isolamento. Está protegido nessa solidão entre altos murros parece melhor do que está no mundo lá fora.

    ResponderExcluir