Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

sábado, 9 de abril de 2011

Considerando as pequenas coisas

Bom pessoal, Leon Fernandes ao seu dispor trazendo um assuntinho para a gente comentar. O assunto é "as pequenas coisas", vamos ver como fica isso na crônica de Marina Bravia que eu tomei empestado e coloquei a narrativa no eu masculino para parecer que o texto foi feito por mim. Preparados?! Então lá vai...

Dizem que devemos ser felizes sem nos preocuparmos com as pequenas coisas que surgem para nos atrapalhar dia a dia. Pois é, uma mosca é uma pequena coisa. E ela tinha que posar exatamente no lugarzinho onde eu iria colocar a boca para tomar meu delicioso café? Calmante troquei de xícara, derramando o café pelo lado no qual ela não havia colocado suas patas perniciosas. Nesta mesma noite, quando dirigia meu último pedadinho de pão à boca, quem posa toda intrometida? Ela, ela mesma, de novo! Tudo bem, o pedacinho de pão, era só uma pequena coisa. Li recentemente que as moscas são grandes causadoras de doenças, e algumas delas podem trazer doenças que podem ser fatal. Depois disso, decidi tentar ser um pouco mais higiênico. Prontamente renunciei ao meu último pedacinho de pão,  eu já havia comido quase todo o recheio mesmo. Deixa pra lá! Dias depois, comendo um delicioso chocolate, quem aparece para posar no meu último pedaçinho de ouro marrom? Se não era ela, era uma irmã gêmea dela, porque era igualzinha, nas feições e no tamanho. Se não era a irmã gêmea dela, era uma descendente bem próxima: filha ou neta, com a mesma função. E o pior é que fiquei tão chocado que nem vi ao certo onde foi exatamente que a cretina posou. No cafezinho e no pão tudo bem, mas no chocolate... Foi demais! Enquanto eu pensava no que fazer, as bactérias devem ter ido se espalhando na maior eficiência. Rapidamente, meditei numa frase que Shakespeare disse. Bem,  se ele não disse, ouvi alguém dizer que ele disse, e se alguém não disse que ele disse, estou dizendo agora: “Todos nós vamos morrer um dia, não é mesmo?! Assim sendo, sem demora comi meu último pedacinho de chocolate feliz da vida sem me preocupar com as pequenas coisas, afinal as bactérias não são só pequenas, são microscópicas, não é mesmo?

Oi, gentii, Aninha Dicaprio, e minha participação aqui é a seguinte. Fazer vc meditar e opinar sobre esse texto. Você também acha que não devemos dar tanta importância as pequenas coisas? E se o chocolate fosse seu, hein?
Gentiiiiii! me lembrei de uma coisa: se compararmos essas duas situações com namorados, temos o seguinte resultado: Se o cara foi simpleszinho, então é descartado pelas pequenas coisas, mas se ele é um monumento, um espetáculo (uma barra de chocolate) então fica meio difícil descartá-lo, não é?!. Ups! Falei, foi mal! Bem que me disseram para não falar abobrinha. Desculpa, gente, mas falar de  rapazes pra mim, não é abobrinha, é sempre uma coisa seríssima. Hehehehehe

8 comentários:

  1. Costumo não me aborrecer com as pequenas coisas pra não ocupar espaço na cota de raiva que tenho reservado. Prefiro me aborrecer com coisas que realmente causam mau pra mim.

    ResponderExcluir
  2. Xiiii, para falar a verdade, eu me aborreço com facilidade. Ainda mais se a “mosca” ficar me aborrecendo na mesma coisa.

    Leon um versinho para vc: No meio do caminho havia uma “mosca”... Havia uma “mosca” no meio do caminho.

    Há! Leon compre uma daquelas raquetes que mata mosquito, para pegar essa mosca ou qualquer uma da família dela.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, querido Leon, às vezes as pequenas coisas nos chateiam bastante... principalmente quando são recorrentes, e acontecetem quando a gente já está meio estressado com outras coisas.

    ResponderExcluir
  4. Eu, hein que gulodice pelo chocolate. Ficou legal. Jogou o pão fora, mas cadê que jogou o chocolate? kkkkk

    ResponderExcluir
  5. Quando li essa crônica me lembrei de uma frase muito sábia dita po um amigo: "O problema tem a exata dimensão que vc atribui a ele", ou seja se vc achar que o problema é pequeno, ele será.

    ResponderExcluir
  6. Procuro sempre ñ me aborrecer com pequenas coisas que me chateiam,porém a mosca e seus parentes me aborrecem bastante,mas se formos deixar de comer por causa delas vamos morrer de fome.Acho pior de tudo é quando tem uma só perturbando nossos olhos,isso me tira do sério!O bom mesmo é ser feliz,e o chocolate nos deixa muiiiiito felizes,né ñ Leon?Essa escritora pensa em cada coisa!Amei!nunca tinha parado pra pensar nas pequenas coisas.Ei Aninha, rapazes são grandes coisas se forem bem altos,musculosos,aí pode ser chocolate branco ou preto,ñ tem importância,kkkkk.Wleu!!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Wleu pra vc também, querida Nadij. Eu também detesto qdo uma mosca fica pulando amarelinha nos meus cílios. Daí que se agente dê um tapa nela, ela resolve ir pra nossa boca,nariz ou ouvindo. ainda bem que agora existe raquete elétrica para a gente eletrocutar essas pequenas inimigas. Ahahahaha

    ResponderExcluir