Pesquisar este blog

Seguidores do Nosso Bloguinho - Mural Blogger

quinta-feira, 25 de março de 2010

O VIRADOR E O LABRALATA - Poesia Infantil

.
A escritora Margarete que desde a infância tinha fobia a cães, hoje tem esses dois meninos no seu círculo de amigos: O virador chama-se Rex e o labrador chama-se Meek. Esses dois têm sido companheiros e fonte de inspiração. Para eles escreveu os poemas: “O Virador e o Labralata”, “Rex Vida Boa” e “Meek e Eu”, poema que faz referência à obra de John Grogan, “Marley e Eu”. Há ainda uma participação desses meninos na poesia: “Quintais”.
.

.O Virador e o Labralata
 Margarete Solange.........
.

Meek é manso em inglês.
Em latim, Rex é rei.
Irmãos de criação,
O baixinho quer dominar,
É o rei da confusão.
O outro é grandão,
Bonito e bobão.
Quando entrar numa briga
Perde toda mansidão.
Ai, ai, ai, um labrador
Virando a lata,
Que horror!
Herdou os modos
Do irmão.
Livres, brincam,
Dia e noite...
Noite e dia.


Nada de coleira,
Nada de prisão.
Ladra o vira-lata
Lambe o labrador
Late o labralata,
Brinca o virador.
Se misturam pelo chão,
Não sei mais quem é quem.
Ai, ai, ai, que confusão!

05.05.09
.



Rex: Tem seis anos. Profissão: vigia noturno. Líder, esperto e às vezes mal-humorado escala parede, brinca de esconde-esconde
Obedece aos comandos: fica em pé, sentado, deitado, faz mortinho.
dá a patinha: essa não a outra, peça desculpas, escolha (petisco escondido nas mãos fechadas), ele é o cara!



Meek, brincalhão e atrapalhado. Profissão: assustar visitas. Comporta-se como um vira (embora Rex, que é um legítimo vira, seja respeitoso com as visitas). Obedece aos comandos:
senta, dá a patinha, deita e faz mortinho. Tem cinco anos e é portador de um problema chamado displasia coxofemoral
, portanto, não consegue executar comandos que o façam ficar de pé sobre as patas traseiras. Ele é fofo! Adora um colinho, quando se joga em plena carreira transportando seus quase 50 quilos, o dono do colo é arremessado para trás.
.

Fonte: 
Margarete Solange. 
Inventor de poesia infantil: 
fantoches e poesias
Queima-Bucha, 2010



.
*Nas últimas páginas desse Livro,
encontram-se relatos de uma pesquisa
na qual crianças de 10 a 12 anos apresentam
criticas e sugestões sobre as poesias da autora.

* Para saber mais sobre esses meninos veja também
 "Galeria: Amigos Cachorros" nos arquivos de Março de 2010
http://nossoliterariobloguinho.blogspot.com/2010/03/galeria-cachorrada.html
.

7 comentários:

  1. só não entendo pq quando alguem tá passando por dificuldades diz: "oh vida de cachorro"

    ResponderExcluir
  2. Pois é esses cachorros são muito chiques. Gostei da poesia, uma homenagem carinhosa aos dois meninos cachorros.

    ResponderExcluir
  3. Oh cachorrada de sorte!!!
    gostei D+ da poesia.

    ResponderExcluir
  4. Adoro esses dois meninos! Eles bem que merecem ser celebridades. Nunca vi um labrador tão vira-lata, adora assustar visitas. E esse Rex, o vira-lata, parece gente, sabe se expressar. Esses meninos ainda vão ser motivos para muitas outras histórias.

    ResponderExcluir
  5. A princípio essa a poesia pode parece apenas uma homenagem a dois cãezinhos em particular, mas não se resume numa simples homenagem, traz informações interessantes, como o significado das palavras Rex e Meek, por exemplo. Penso que as crianças vão gostar saber sobre isso e até mesmo alguns adultos que também não sabem por trata-se de palavras estrangeiras. E, por fim, tem joguinho com as consoantes e os sons das palavras vira-lata e labrador que vão se alternando e se misturando, e essa novidade pode ser bem aproveitada pelo professor na hora trabalhar e animar a poesia.

    ResponderExcluir
  6. Bonita homenagem aos cachorros Meek e Rex. A propósito, eu não sabia que Rex em latim era rei, aprendi com essa poesia.

    ResponderExcluir